c6def10b-c23b-40c7-8556-5698d62a44ce

Em uma ação extraordinária Santa Casa de Andradina faz mais uma captação de múltiplos órgãos

Andradina: Na última sexta-feira 9, foi realizada na Santa Casa de Andradina, a captação de múltiplos órgãos por uma equipe do Hospital de Base de São José de Rio Preto, juntamente com a Comissão Intra-Hospitalar de Transplante (CIHT) da instituição. Por meio desse trabalho, várias vidas renascerão e ganharão esperança de melhor qualidade de vida, são pessoas que não sentirão mais dores e sofrimentos pelos leitos hospitalares no Brasil.

Doação no Brasil

De acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, a doação de órgãos é um processo trabalhoso e delicado que depende da confiança da população no sistema e do comprometimento dos profissionais de saúde no diagnóstico de morte encefálica. O Brasil é o segundo país do mundo em número de transplantes.

Para que os médicos continuem salvando vidas é preciso que as doações de órgãos também continuem acontecendo.

O papel das famílias numa hora tão triste

Mesmo em um momento de muita dor, tristeza e sofrimento, a família através de um ato de amor e humanidade, consentiu esse ato tão nobre que é a doação de órgãos.

É uma situação delicada, pois são as famílias que decidem ou não pela doação dos órgãos dos parentes num momento muito difícil. Por isso, a abordagem dessas famílias, por parte das equipes de captação, tem que ser feita com muito cuidado. A família precisa se sentir acolhida e atendida neste momento para ter todo o processo de doação.

A espera por um órgão

 O Brasil tem atualmente trinta e duas mil pessoas à espera de um transplante. É uma luta contra o tempo para renovar uma vida. Muitas barreiras são encontradas durante esse processo, entre elas, a dor da família que perdeu uma pessoa amada é a distância que muitas vezes separa o doador de quem precisa daquele órgão.

Existe uma fila única, nacional, organizada de acordo com a gravidade dos pacientes. Ela obedece, porém, a critérios regionais. Isso significa que, se um órgão fica disponível no São Paulo, por exemplo, buscam-se doadores no mesmo estado e em locais próximos. Se não for encontrado um potencial receptor nesses limites, o órgão será disponibilizado para pacientes da lista nacional.

Os órgãos mais comumente transplantados são: coração, fígado, pâncreas, dois pulmões e dois rins. O prazo entre a retirada do órgão do doador e o seu implante no receptor varia para cada um deles.

Agradecimentos da equipe Santa Casa de Andradina

A CIHT da Santa Casa de Andradina, durante a entrevista, agradeceu em primeiro lugar a família por essa nobre decisão, e também a toda equipe da unidade de terapia intensiva, que, segundo eles, teve muito amor, cuidado e dedicação durante o período de internação.

Eles também agradeceram a  toda equipe médica, ao Hemocori, centro cirúrgico, e a todos os demais profissionais envolvidos.

Marcos Aurélio – Jornalista

Foto:

Comissão Intra-Hospitalar de Transplante da Santa Casa de Andradina (Verde)

 Equipe do Hospital de Base de São José de Rio Preto (AZUL)

Author Info

Assessoria de Imprensa

No Comments

Deixe uma resposta